sábado, 8 de novembro de 2008

E agora?

Meu pai acaba de me dar uma notícia perturbadora: vamos todos almoçar no shopping amanhã. O que fazer?

a) Dar um jeito de não ir (posso alegar que tenho muitas tarefas acadêmicas e preciso ficar fazendo meus trabalhos e lendo meus livros);
b) Sair agora à cata (ou seja, internet) pra saber que estabelecimentos no dado shopping poderiam me oferecer alguma refeição que não pesasse muito nem no estômago nem na consciência;
c) Almoçar tranqüilamente o que os outros forem comer e tentar lidar com isso o resto da semana;
d) Outros.
.
.
Notei que algumas pessoas que começaram a me ler recentemente não entenderam bem meu "dia oficial da jaca permitida", então resolvi explicar. Meu controle é um esquema semanal que começa no sábado, o dia um. No dia sete, sexta, tenho uma "folga", que é um dia em que eu posso comer coisas que não poderia nos outros dias. É um dia livre, mas não totalmente livre. Não conto as calorias que consumo nesse dia (até por medo de saber quantas). Nos outros seis dias, o limite é de 800kcal.

Eu sofro do transtorno do comer compulsivo, do qual vivo reclamando constantemente, e por isso é muito difícil pra mim manter uma dieta. Claro que é difícil pra todo mundo, mas os "sintomas" são um tanto quanto agravados pelo transtorno. Além das trilhões de tentações com as quais qualquer pessoa que está tentando emagrecer precisa conviver todos os dias, uma pessoa com o transtorno ainda tem que lidar com pensamentos auto-sabotatórios, pensamentos contrários a tudo o que você acredita, mas que podem fazer você cometer as maiores loucuras alimentares. Coisas insanas, do tipo matar aula pra ir no shopping comer alguma coisa (sem estar com a mínima fome). Eu não saberia contar quantas vezes fiz isso na vida.

Por isso, o sétimo dia é importante no meu programa de controle, por enquanto. Eu consigo driblar vontades aterradoras com a desculpa "vou comer isso na sexta-feira, então não preciso comer agora". Às vezes essa vontade é uma barra inteira de chocolate, que eu "pago" na sexta-feira com um bombom. Na maioria das vezes, quando a sexta chega, eu nem lembro mais o que tinha desejado comer. Esse dia também é importante para acalmar aqueles pensamentos de "quando vou poder comer uma pizza de novo na minha vida?". Se eu quiser comer pizza, na sexta eu posso.

A sexta acaba sendo sempre um dia meio confuso, como foi ontem. Na maior parte do tempo eu fico me perguntando se precisava mesmo desse dia (embora nos outros dias eu tenha certeza de que preciso dele). Fico pensando "eu seria totalmente capaz de sobreviver hoje me controlando como nos outros dias". Mas mesmo assim sempre acabo comendo um pouco mais do que acho que deveria, mesmo pra um dia "livre".

Em todo o caso, a sexta-feira continua sendo o dia oficial da jaca permitida e assistida. Ou o que for. E eu continuo querendo saber o que fazer amanhã. E continuo, também, com o fim de semana atolado de afazeres acadêmicos. É a vida... *

Edit: Estava bem nervosa na hora que escrevi o post, preocupada com o lance de almoçar fora amanhã. Acontece que eu tenho problemas em me controlar quando como fora. E acontece também que, só de pensar que no dia seguinte ia ter que lidar com isso, me deu uma ansiedade maluca, que imediatamente acordou aquela vozinha que começou a dizer "aproveita e tira uma folga no fim de semana". Ela rapidamente elaborou uma lista de tudo o que tinha lá na cozinha que eu pudesse querer e começou a cochichar no meu ouvido. E eu discutindo que não, que se for pra enlouquecer, que seja só amanhã, que é o dia "problema", não tinha motivo nenhum pra me descontrolar hoje. Mas tava difícil vencer a discussão. Pra calar a boca de todo mundo, deitei e fui dormir. Azar dos afazeres acadêmicos. (Como se eu fosse conseguir fazer qualquer coisa com aquela guerra dentro da cabeça...)

Graças a Deus acordei com a sensatez falando mais alto. Tomei um banho demorado, jantei um sanduíche e segui com a minha vida. Quanto a amanhã, amanhã eu resolvo. Mas acho que vou no shopping, sim, eu tenho certeza de que me sentiria muito mal ficando em casa, excluída. Além disso, se eu for fazer isso toda vez que tiver algum desafio... O certo é enfrentar. Chegando lá, se eu achar uma refeição light, ótimo. Se não achar, como uma quantidade controlada da refeição calórica que for. Chegando em casa, o controle continua, nada de "folga o resto do dia". Esse é exatamente o tipo de coisa que me levou a falhar das outras vezes. Dessa vez, vou entrar em todas as brigas que tiver que entrar, e pra ganhar. *

3 comentários:

zenaide disse...

oi eu acho que vc deveria ir sim passear no shopping é muito bom ai vc olha o cardapio de lá quem sabe tem comidas que não são caloricas né,bjs e um otimo fim de semana.

veronica disse...

bom, na única que vez que passei por esse impasse eu não fui. expliquei que minha dieta tava engrenando e fiquei em casa. foi uma opção boa, pelo menos pra mim, na época.

Anônimo disse...

Ola, tenho uma proposta pra te fazer, quer ser minha professora virtual de inglês? não agora lógico, sei que vc está atolada na faculdade e eu tbm, mas entro de férias dia 04/12 se vc puder e quiser fico muito feliz, quero muito aprender a lingua, mas por causa do trabalho e da faculdade não tenho como frequentar um curso normal, meu e-mail é monicaduarte2121@hotmail.com, aguardo ansiosamente uma resposta. Bom fim de semana e sorte no passeio de amanhã. Monica